A JANELINHA

                                 Decoração * Móveis * Enxoval * Puericultura 

Conselhos Úteis

 - Não se esqueça de  pedir na Farmácia, sempre que compra produtos de higiene para o seu bebé, o recibo comprovativo dessa compra. Todos os artigos comprados na Farmácia que têm 20% de IVA são dedutíveis no IRS (30% do valor gasto até 60 euros), desde que tenham a respectiva receita médica. Por isso, junte os vários talões, e quando for à consulta do Pediatra, não se esqueça de lhe pedir a respectiva receita médica.

 - Compre um detergente próprio para lavar a roupa do seu bebé e nunca a lave em conjunto com outras roupas. Pelo menos até aos 6 meses, deve manter esta estratégia.

 - No primeiro mês, mude todos os dias toda a roupa do seu bebé, incluindo a toalha de banho. No primeiro mês de vida as defesas do bebé ainda são muito frágeis, pelo que uma higiene cuidada é fundamental para manter a sua saúde e protegê-lo de infecções. Nos meses seguintes deve continuar a mudar diariamente, pelo menos, a roupa interior.

 - Pelos mesmos motivos, esterilize tudo o que é para ser tocado pelo bebé: biberões, tetinas, chupetas, protectores de mamilos, caixas para guardar xuxas, caixas para guardar leite...

 -

 -

 

 

A escolha do Pediatra

Tenha o maior dos cuidados na escolha do Pediatra que a irá acompanhar e ao seu bebé nos próximos anos. Se na primeira consulta não sentir empatia ou discordar de alguns dos métodos aconselhados, não hesite em mudar.

Converse com outras mães e tente saber como são os diferentes Pediatras: uns mais tradicionais, outros mais modernos e cheios de ideias novas. Compare os resultados: que tipo de comportamentos vê nos filhos dos seus amigos que possam ter sido motivados pelos conselhos do Pediatra? Veja o que gosta, mas principalmente o que não gosta.

Uma regra básica e aceite pela maior parte das mães como uma chave para verificar se um Pediatra é genuinamente carinhoso com os bebés é ver se é ele que os despe enquanto faz o exame médico, ou se pede à mãe que o faça. Um Pediatra verdadeiramente envolvido despe os bebés com todo o cuidado enquanto vai fazendo o exame médico.

Esteja atenta ao modo como ele examina o seu filho. Acha que o faz com cuidado?... Faz perguntas sobre o desenvolvimento do bebé ou limita-se a medi-lo e a pesá-lo? Gosta de conversar com os pais, dá conselhos e conta histórias de casos passados? Está disponível quando telefona com qualquer problema? É sensato nas respostas que lhe dá?

Hoje em dia há muitas teorias mas os resultados práticos continuam a mostrar que há regras básicas que não devem ser alteradas apesar da opinião de alguns jovens Pediatras:

- O bebé não deve mamar a toda a hora, mas no minímo com 2 ou 3 horas de intervalo e no máximo 4. Mas nunca o acorde durante a noite para mamar. Se o bebé está a dormir, é porque não tem fome. Se está a alimentar o seu bebé com biberão, a quantidade de leite é mais fácil de controlar. Mas se estiver a dar de mamar e o seu bebé não aguentar pelo menos duas horas sem fome, é porque necessita de lhe dar um pouco de suplemento. O leite materno é excelente, mas a sua qualidade varia de mulher para mulher.

- Não se sinta culpada se não puder dar de mamar. O leite materno é bom (se a mãe durante a gravidez tiver tido uma alimentação equilibrada e saudável e seguir o mesmo tipo de dieta durante o período de amamentação), mas se olhar à sua volta, não vê diferenças entre bebés que tomaram leite materno e os que não tomaram: nem de saúde, nem de inteligência, nem na qualidade dos vínculos afectivos criados com  a mãe. O bebé sente-se próximo da mãe porque está ao seu colo e perto da pele, bem aconchegado e perto do coração, e para isso é indiferente estar a alimentar-se do peito ou do biberão.

- Dê água ao seu bebé! Fervida e depois arrefecida. Muitas vezes, quando os bebés choram entre as refeições, não é porque têm fome, mas porque têm sede, principalmente no Verão; ou no Inverno, se a casa estiver aquecida artificialmente.

O Pediatra será um conselheiro, mas não viva obcecada por ele. Seja sensata! Faça perguntas, siga as regras elementares de saúde, alimentação e higiene por ele recomendadas, mas aprenda também a pensar e a decidir por si própria. Siga também os conselhos de outras mães e muito principalmente, das avós.

 

 

Tenha muito cuidado com os artigos em 2ª mão

O seu bebé esteve muito bem protegido durante 9 meses.  Quando ele nascer, vai vigiá-lo com um grande amor.

Saiba, por isso, que o bebé pode correr riscos ao ser deitado numa cama antiga, ao ser colocado num carrinho já usado ou ao ser instalado numa cadeira-auto que já serviu antes.

Com os artigos em segunda mão, os pais desconhecem a data da sua compra, bem como as condições exactas em que foram utilizados e limpos.

Certas peças, indispensáveis à segurança do seu bebé, podem estar estragadas sem se darem conta disso e a limpeza aparente não é sinónimo de higiene.

Existem artigos para todos os gostos mas estes devem estar sempre acompanhados dos conselhos de verdadeiros profissionais.

Para uma maior segurança, as normas estão em constante evolução, pelo que um artigo antigo pode não oferecer o mesmo nível de segurança que um artigo de concepção recente.

Não se deixe igualmente iludir por artigos aparentemente iguais mas mais baratos!

As marcas investem muito dinheiro em testes de segurança, pelo que todos os artigos obedecem às normas recomendadas pela Comunidade Europeia e aos padrões que o peso do bebé exige. Por exemplo, uma cadeira da papa ou um muda fraldas mais barato não está provavelmente preparado para suportar um bebé com o peso que essas peças exigem e que normalmente são os 18 quilos. Sendo mais frágeis, porá o seu bebé em risco conforme ele vai crescendo, pois o artigo pode não estar preparado para suportar o peso associado à agilidade que um bebé de 18 ou 24 meses já tem.

Tenha, por isso, o maior cuidado, ao escolher o que vai comprar para o seu bebé. Prefira sempre produtos que sabe estarem em conformidade com as regras de segurança e conforto do  bebé.

 

A Criança e o Sol

Se os pais procuram dar ao filhos tudo para que eles sejam adultos saudáveis, educados, independentes e sensatos, é importante não esquecer que o comportamento face à exposição solar durante a infância pode ser um dos factores mais determinantes para o futuro do bebé.
 
Se os protegemos de tudo que eventualmente os possa magoar, ferir ou fragilizar, também temos obrigação de os proteger de um perigo que não se vê, mas que se vai acumulando e escondendo no organismo das crianças.
 
Ao contrário do que muitos pais - ainda - pensam, não é por estarem cobertos com protector solar que as crianças (e os adultos) estão protegidas dos efeitos nocivos do sol. Os protectores protegem das queimaduras solares mas permitem a acumulação de efeitos nocivos na pele das nossas crianças que só se irão revelar daqui a 20, 30 ou 40 anos. Na verdade, quando deixamos os nossos filhos andarem na praia nas horas de máximo calor estamos a comprometer seriamente o seu futuro pois podemos estar a potencializar a possibilidade de eles poderem vir a ter cancro de pele.
 
É isso que queremos para estes bebés que tanto amamos? Claro que NÃO!
 
Por isso, aproveite o sol, dê às crianças umas férias maravilhosas com praia, mar e sol, mas apenas nas horas em que o sol não é perigoso. Por isso evite a exposição solar, entre as 11 e as 16 horas!
 
Há tantas outras coisas para fazer com os nossos filhos durante as férias!
 
Protega o futuro das nossas crianças! Elas agradecem...
 
Para para esclarecimentos consulte o artigo: Vida Saudável com Sol

 

 

 

Tem alguma dúvida? Pergunte-nos: e-mail A JANELINHA